Archive for October, 2012

Saiu hoje [24 de outubro], no caderno de Informática do Diário de Pernambuco, uma matéria bem bacana sobre o TeeNOW. Quem não viu pode conferir a matéria na íntegra clicando nas fotos abaixo.

Ciro Leimig, Diogo Barros, Tales Leimig e Yuri Notaro, fundadores do TeeNOW!

Matéria na íntegra.

Na próxima quinta-feira, dia 25, o Windows 8 vai ser lançado oficialmente no mundo todo. Tanto o sistema avulso como os notebooks, tablets e PCs de mesa equipados com ele começam a ser vendidos no dia seguinte. A Microsoft espera com esse lançamento realizar uma manobra arriscada e, finalmente, se inserir no mercado de tablets que cresce de forma explosiva, enquanto que o mercado de PCs está estagnado. Embora tenha sido pensado para o uso em tablets e em PCs com tela sensível ao toque, o Windows 8 pode ser usado em máquinas convencionais com teclado e mouse.A intenção da Microsoft é tornar os PCs mais modernos e alterar a interface dos mesmos. Mas nem todos os usuários vão gostar das mudanças.

tela inicial windows 8

A principal mudança veio na interface gráfica. Assim como no tablet, a tela inicial do Windows 8 é composta por ícones chamados de “tiles” (azulejos) que representam aplicativos, fotos, documentos e outros itens. Esses ícones são funcionais, ou seja, exibem informações correspondentes a cada aplicativo. tablet com windows 8 Se os ícones não couberem na tela, a mesma pode ser rolada horizontalmente para melhor visualização. Até alguns meses atrás a nova interface do Windows 8 era chamada de Metro, mas a Microsoft abandonou esse nome e, agora, se refere a ela como Modern (moderna). Apesar de mais adequada aos tablets, e, talvez, mais funcional que o próprio iOS da Apple, o sistema talvez não atinja o esperado em PCs que não sejam sensíveis ao toque. Do lado direito da tela inicial, existe a barra de “charms” (“encantos”), que é simplesmente uma barra de ferramentas. Ela oferece opções de configuração, busca e outras que, no Windows 7, ficam no menu Iniciar. A barra de charms também exibe um quadro com o relógio, um indicador da carga da bateria e outro que mostra a intensidade do sinal da conexão sem fio. Nos tablets, para ativar a barra de “charms”, só é preciso deslizar o dedo da direita para a esquerda. Num PC, o caminho mais rápido é teclar Win+C (símbolo do Windows + C, de charm). Outro caminho é mover o cursor do mouse para um dos cantos à direita. O Windows 8 não tem menu Iniciar. Quem sentir falta dele tem a opção de adicioná-lo usando programas de terceiros.

A promessa da Microsoft é que o computador vai iniciar mais rapidamente com o novo sistema. Para que a máquina receba o selo de aprovação para o Windows 8 da empresa, ela deve ser capaz acordar do estado de espera em 2s. Há também melhoramentos na segurança. Um antivírus básico, o Windows Defender, entra em ação sempre que não houver outro software de segurança ativo. Quanto ao Internet Explorer, a Microsoft vem com uma nova tentativa de colocar seu navegador de internet  entre os principais do mercado. O novo IE10 vem em 2 versões. Uma delas, feita para a interface clássica (do Windows 7), é similar ao Internet Explorer 9. A outra segue o estilo da nova interface gráfica. Nela, o browser roda na tela inteira em vez de ficar numa janela móvel.  Com relação ao hardware, as exigências do Windows 8 são bem pesadas. Ele requer um processador razoavelmente recente com frequência de clock de pelo menos 1 GHz. Também exige 1 GB de memória para a versão de 32 bits e 2 GB para a de 64 bits. Mas para que o sistema rode com bom desempenho num PC, o mesmo precisa ter, pelo menos, 4 GB de memória [recomendado].

charms e tela inicial windows 8

O Windows 8 vem em quatro versões: Windows 8, Windows 8 Pro, Windows 8 Enterprise (para empresas) e Windows RT (para tablets com processador ARM). Além disso, haverá versões de 32 e 64 bits. Se o computador e os aplicativos forem compatíveis com o sistema de 64 bits (a maioria dos PCs é), é recomendável usar essa versão, que tende a ser mais estável e veloz que a de 32 bits. Neste último fim de semana, o Windows 8 Pro começou a aparecer em lojas online brasileiras que já estão aceitando encomendas. O preço começa por volta de R$ 250,00. Quem comprou um computador com Windows 7 depois de 2 de junho pode fazer a atualização para o Windows 8 Pro por R$ 29,00.

Fonte: Exame

Maio de 2010: após 30 anos de rivalidade, a Apple supera a Microsoft pelo critério de valor de mercado e se torna a empresa de tecnologia mais valiosa do mundo. A concorrência que foi motivo de piada há três décadas, teve uma reviravolta que o Bill Gates com certeza não previu.

Outubro de 2012: na semana em que completou 14 anos, as ações do Google sobem 0,7% levando o valor da empresa a US$ 249,2 bi, o que coloca o gigante de buscas como a segunda maior empresa de tecnologia do mundo, logo atrás da Apple, apesar de que o valor da empresa da Maçã [US$ 632,9 bi] ser duas vezes maior que o do Google.

googlevsmicrosoft


O principal motivo que levou a Apple a se tornar mais valiosa que a Microsoft há alguns anos, foi a revolução causada na última década com o lançamento de dispositivos móveis como o iPod, iPhone e iPad, enquanto a Microsoft enfrentou uma [quase] estagnação em seus produtos [temos o Xbox e?], apesar de ainda dominar totalmente o mercado de computadores e sistemas operacionais para PCs. Com relação ao Google, as duas empresas tem competido em vários segmentos – a Microsoft lançou seu próprio mecanismo de busca [o Bing], enquanto o Google atacou com o Android e o Google Chrome [hoje, o navegador mais aprovado pela maioria dos usuários]. E ainda espera-se que o Google passe a dominar em breve o mercado de anúncios em computadores, substituindo o Facebook, maior plataforma de anúncios online atualmente.


Enquanto a Apple investe em tecnologia, em design e em novos equipamentos [apesar de que a quantidade de Macs vendidos não chega a 10% dos PCs vendidos no mundo], a Microsoft enfrenta problemas relacionados à sua posição no mercado além dos problemas com a pirataria de seus softwares. Acionistas já duvidam que a empresa possa fugir da sua dependência do Office e do Windows e encontrar um novo mercado para se inserir ganhando, assim, mais força. Mas a MS tem sentido essa pressão e tem investido forte para mudar esse quadro. O novo sistema operacional Windows 8 tem aos poucos agradado e a empresa começa e investir em novas tecnologias, vide sua recente inserção no mercado de tablets com o Surface.

A disputa é boa e ainda tem muita água pra rolar. E nós, apaixonados, só temos a ganhar com isso.

Mensalmente realizamos um evento na sede da Idealizza chamado ESC [Evolua Seu Conhecimento]. O evento serve para que possamos compartilhar dos conhecimentos na área de TI entre os profissionais da área e entre qualquer interessado em aprender mais sobre tecnologia. No dia 08 de agosto de 2012 nós tivemos a edição nº V do Esc e ficamos devendo um post sobre o evento. O tema da vez foi Testes Unitários com CakePHP. A automação de testes possui dois tipos deles: os testes gravados e os programados. Os testes unitários (unit tests) são códigos programados para testar o código principal, utilizando dados de teste para analisar o comportamento e retorno do código testado.

Durante o ESC, apresentado por Diogo Barros, diretor de operações da Idealizza, também foi realizada prática em Dojo, onde todos os desenvolvedores participaram, escrevendo testes unitários para um sistema codificado com o CakePHP. Vimos que o framework utilizado por baixo do CakePHP para testes é o PHPUnit, que, por sua vez, tem a função de prover um cenário ideal para realização de testes unitários, oferecendo um poderoso conjunto de recursos que irão garantir que o código fará o que realmente é esperado.

Em conjunto, desenvolvemos testes unitários para modelos, views e controladores do framework MVC, todos estes utilizados em nossos sistemas. Assim, percebemos que a utilização de testes unitários no processo de desenvolvimento dos sistemas é bastante vantajosa, pois, além da garantia de que o código está funcionando da forma esperada, acelera o processo de testes, identifica precisamente os erros e é facilmente adaptável às novas mudanças que possam surgir no código. Para mais detalhes de testes unitários com o CakePHP Test, você pode clicar aqui.