A Apple trouxe muita coisa nova na WWDC 2013, seu principal evento de lançamento, exclusivo para desenvolvedores. Além do já aguardado iOS 7, ela também mostrou o novo sistema operacional, novos MacBook Air, um já criticado Mac Pro e mais algumas coisas. Mas vamos pelo começo.

Como esperado, o iOS 7 ganhou uma bela reformulada. Tim Cook disse, no início da parte sobre o iOS 7, que essa foi a maior chance que a Apple já teve de mudar profundamente o sistema. E parece que eles foram fundo mesmo: mudou tudo, inclusive elementos básicos e marcantes da interface como o deslizar para desbloquear, agora de baixo para cima e a tipografia, totalmente alternada. Adequando-se ao já tradicional [em outros sistemas operacionais para gadgets] visual flat, o iOS7 fez uma reforma geral no sistema também. Ele ganhou gestos: passando o dedo da esquerda para a direita, o usuário volta ao app anterior. De baixo para cima, abre a Central de Controle — vários botões de acesso rápido e controles do sistema.

Outra novidade, o AirDrop, antes exclusivo para Macs, agora vem para o iPhone 5, iPads 4 e Mini e iPod touch de 5ª geração e permite trocar arquivos livremente entre os dispositivos. O app da câmera mudou um bocado também. Ele agora tira fotos em proporção 1×1 e vem com filtros nativos, ou seja, ficou a cara do Instagram. A organização das fotos agora é baseada na data e localização, gerando “Momentos”. Parece bem fácil e intuitivo localizar fotos em pontos específicos do passado. A Siri agora tem uma segunda voz feminina e uma masculina. O visual foi modificado e ela aprendeu novos truques: dá para mexer em configurações do ssitema, como brilho da tela, e fazer pesquisas em sites como Twitter e Wikipedia. E, por fim, o iTunes Radio confirmado. Ele encontra músicas baseadas nas que você gosta ou está ouvindo e, com um clique, permite a compra. Em outras palavras, é mais parecido com o Pandora do que com o Rdio. Preço? Gratuito com anúncios. Para quem tem o iTunes Match , é gratuito total. Mas, a princípio, só funciona nos EUA.

Antes de mostrar o iOS 7, a Apple anunciou a nova versão do Mac OS X, que abandonou o nome de felino é é chamado OS X Mavericks. Ele ganhou algumas mudanças no Finder (abas em pastas!), suporte melhorado a múltiplas telas (finalmente!), novo Safari, novo app de Calendar (flat design!), versões para desktop do iBooks e do Maps e mais. O app Maps parece mais animador já que você pode usar o recurso Flyover e ver imagens em 3D de cidades do mundo em uma tela grande com conexão de dados rápida, o que significa que você terá menos lags durante a exploração. Parece que programar uma viagem vai ficar mais rápido e fácil.

Depois de anos esquecido, o Mac Pro voltou – e com uma bela atualização. Em relação ao desempenho, a Apple promete um Mac Pro duas vezes mais rápido do que o anterior — usando, desta vez, duas placas de vídeo da AMD. Mas o que mais chama a atenção é o design: ele parece uma cápsula do tempo, um cilindro preto com 1/8 do volume do modelo anterior.

A Apple quer fazer o iCloud ser mais útil, e vai integrar o serviço com o iWork. O que isso significa? Agora você usa o Pages, Number ou Keynote no navegador e salva os documentos na nuvem. Essa é a reação da Apple ao Office 365 e ao Google Docs.

É importante considerar que a Apple escolheu esse caminho em vez de outros mais fáceis. Revoluções bem sucedidas de arquétipos de produtos ocorrem quando uma equipe percebe que a tecnologia avançou muito ou foi substituída. Isso foi o que aconteceu com o iPhone. Todas as empresas do mundo tinham designs com touchscreen que nunca foram lançados; a Apple, no entanto, foi a primeira a perceber que as touchscreens poderiam ajudar na produção e na usabilidade. Em casos como este, compensa ser o primeiro a descobrir e aproveitar a oportunidade. Normalmente, coloca você anos a frente da competição, que está presa fazendo produtos da maneira antiga. A Apple muda tudo de novo. E, claro, para o nosso bem. Fantástico!

Fonte: Gizmodo

Tags: , , , , , , , ,


Deixe um Comentario