O Windows 8.1 já está disponível para download e é a aposta da Microsoft para reverter boa parte das críticas ao seu novo sistema operacional. A versão preview mostra bastante coisa do que está por vir na versão final. Mas, vale a pena baixá-lo? As mudanças valem à pena?

Se a intenção da Microsoft era agradar à primeira vista, a nova versão do sistema deixa a desejar. Para mudar o Preview, é necessário instalar uma atualização para o Windows 8 original e, em seguida, fazer o download do update na loja do sistema. No dia do lançamento, muitos foram os problemas de download. Mas, quem insistiu, enfim, conseguiu completar o processo. No geral, a aparência do Windows 8.1 continua a mesma, exceto por um detalhe: a volta do botão “Iniciar”. O ícone mais polêmico do novo sistema operacional retornou com interface minimalista, mas sem a sua funcionalidade clássica. Ao clicar no botão, é exibida a tela inicial do sistema, mas não o menu clássico do Windows 7 e anteriores. A tela Iniciar trouxe pequenas mudanças, mas grande ganho em personalização. A partir de agora, as Tiles de programas que não possuem a interface Metro serão coloridas a partir da cor predominante do ícone. Além disso, há quatro novos tamanhos: pequeno, médio, largo e grande. A mudança aproxima a experiência do sistema convencional à do Windows Phone 8, grande sacada da Microsoft.

Já no fundo da tela, é possível escolher entre novas opções de temas, alguns animados, e personalizar a cor de fundo e a de destaque. Outra opção é exibir o papel de parede da Área de Trabalho. O menu “Todos os Aplicativos” pode ser acessado a partir de uma seta para baixo, localizada na parte inferior da tela. Antes, era preciso clicar com o botão direito e, em seguida, clicar em outro ícone. Outra grande sacada da Microsoft é oferecer mais liberdade na divisão entre dois aplicativos abertos na tela. Com o Windows 8.1 ficou bem mais fácil, por exemplo, digitar um documento de texto na Área de Trabalho enquanto se verifica os e-mails ou gerenciar a reprodução de músicas durante a navegação na Web. A interface Desktop é praticamente a mesma. A barra de tarefas ganhou, além do menu “Iniciar”, um pouco mais de transparência. Já no Windows Explorer, as pastas “Imagens”, “Documentos”, “Músicas” e “Vídeos” agora aparecem dentro da guia “Este computador”.

O Windows 8.1 chegou com a promessa de reformulação de alguns programas criticados na versão original do sistema. O primeiro a sofrer grandes mudanças é a Windows Store. A nova loja virtual está mais amigável, com destaques animados e listas de aplicativos semelhantes à da Google Play e App Store: sugeridos, mais populares, novas versões, melhores pagos e gratuitos. Ao clicar com o botão direito, todas as categorias clássicas são exibidas. Um ótimo trabalho da Microsoft. Outro aplicativo bastante aguardado é o Internet Explorer 11 Preview, que na sua interface Metro recebeu mudanças bastante interessantes. A primeira delas é que, ao clicar com o botão direito, as abas abertas serão exibidas na parte inferior da tela, junto com a barra de endereço. O programa também ganhou um gerenciador de downloads mais completo e, finalmente, um botão de salvar favoritos. No quesito velocidade, houve uma leve melhora, mas nada surpreendente.

A nova ferramenta de pesquisa do Bing pode dar dor cabeça para o Google no futuro. A integração do buscador da Microsoft com o novo sistema oferece ao usuário uma experiência rápida e satisfatória. Para pesquisar, basta clicar no ícone de lupa da Charm Bar e digitar o que você procura. Os resultados são organizados em fotos, vídeos, notícias e páginas da Web. O recurso é interessante, mas uma otimização da interface seria bem-vinda.


O Windows 8.1 Preview traz um pouco poder de fogo que faltava ao sistema lançado em 2012 e indica o que a Microsoft pode guardar para a versão final do update. No geral, o sistema mantém o bom funcionamento em desktops e notebook, mas promete mesmo se destacar nos tablets e brigar com Android e iOS. Curiosamente, o logo do Windows da tela de inicialização foi substituído por um peixinho. Resta aguardar para ver se a versão 8.1 trará marés mansas para a Microsoft ou afundará, de vez, as chances do novo sistema.

Fonte: Techtudo

Na próxima quinta-feira, dia 25, o Windows 8 vai ser lançado oficialmente no mundo todo. Tanto o sistema avulso como os notebooks, tablets e PCs de mesa equipados com ele começam a ser vendidos no dia seguinte. A Microsoft espera com esse lançamento realizar uma manobra arriscada e, finalmente, se inserir no mercado de tablets que cresce de forma explosiva, enquanto que o mercado de PCs está estagnado. Embora tenha sido pensado para o uso em tablets e em PCs com tela sensível ao toque, o Windows 8 pode ser usado em máquinas convencionais com teclado e mouse.A intenção da Microsoft é tornar os PCs mais modernos e alterar a interface dos mesmos. Mas nem todos os usuários vão gostar das mudanças.

tela inicial windows 8

A principal mudança veio na interface gráfica. Assim como no tablet, a tela inicial do Windows 8 é composta por ícones chamados de “tiles” (azulejos) que representam aplicativos, fotos, documentos e outros itens. Esses ícones são funcionais, ou seja, exibem informações correspondentes a cada aplicativo. tablet com windows 8 Se os ícones não couberem na tela, a mesma pode ser rolada horizontalmente para melhor visualização. Até alguns meses atrás a nova interface do Windows 8 era chamada de Metro, mas a Microsoft abandonou esse nome e, agora, se refere a ela como Modern (moderna). Apesar de mais adequada aos tablets, e, talvez, mais funcional que o próprio iOS da Apple, o sistema talvez não atinja o esperado em PCs que não sejam sensíveis ao toque. Do lado direito da tela inicial, existe a barra de “charms” (“encantos”), que é simplesmente uma barra de ferramentas. Ela oferece opções de configuração, busca e outras que, no Windows 7, ficam no menu Iniciar. A barra de charms também exibe um quadro com o relógio, um indicador da carga da bateria e outro que mostra a intensidade do sinal da conexão sem fio. Nos tablets, para ativar a barra de “charms”, só é preciso deslizar o dedo da direita para a esquerda. Num PC, o caminho mais rápido é teclar Win+C (símbolo do Windows + C, de charm). Outro caminho é mover o cursor do mouse para um dos cantos à direita. O Windows 8 não tem menu Iniciar. Quem sentir falta dele tem a opção de adicioná-lo usando programas de terceiros.

A promessa da Microsoft é que o computador vai iniciar mais rapidamente com o novo sistema. Para que a máquina receba o selo de aprovação para o Windows 8 da empresa, ela deve ser capaz acordar do estado de espera em 2s. Há também melhoramentos na segurança. Um antivírus básico, o Windows Defender, entra em ação sempre que não houver outro software de segurança ativo. Quanto ao Internet Explorer, a Microsoft vem com uma nova tentativa de colocar seu navegador de internet  entre os principais do mercado. O novo IE10 vem em 2 versões. Uma delas, feita para a interface clássica (do Windows 7), é similar ao Internet Explorer 9. A outra segue o estilo da nova interface gráfica. Nela, o browser roda na tela inteira em vez de ficar numa janela móvel.  Com relação ao hardware, as exigências do Windows 8 são bem pesadas. Ele requer um processador razoavelmente recente com frequência de clock de pelo menos 1 GHz. Também exige 1 GB de memória para a versão de 32 bits e 2 GB para a de 64 bits. Mas para que o sistema rode com bom desempenho num PC, o mesmo precisa ter, pelo menos, 4 GB de memória [recomendado].

charms e tela inicial windows 8

O Windows 8 vem em quatro versões: Windows 8, Windows 8 Pro, Windows 8 Enterprise (para empresas) e Windows RT (para tablets com processador ARM). Além disso, haverá versões de 32 e 64 bits. Se o computador e os aplicativos forem compatíveis com o sistema de 64 bits (a maioria dos PCs é), é recomendável usar essa versão, que tende a ser mais estável e veloz que a de 32 bits. Neste último fim de semana, o Windows 8 Pro começou a aparecer em lojas online brasileiras que já estão aceitando encomendas. O preço começa por volta de R$ 250,00. Quem comprou um computador com Windows 7 depois de 2 de junho pode fazer a atualização para o Windows 8 Pro por R$ 29,00.

Fonte: Exame